Glauco Viana
sinceramente!!!
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Só me faltava esta
Agora uma fração da justiça retrocede e quer crescer novamente encima da condição sexual dos homossexuais.
"O juiz federal da 14ª Vara do Distrito Federal Waldemar Cláudio de Carvalho concedeu liminar que abre brecha para que psicólogos ofereçam a terapia de reversão sexual, conhecida como ‘cura gay’, tratamento proibido pelo Conselho Federal de Psicologia desde 1999."
(Estadão)
Acho cruel este alvoroço publicitário a custa de condições pré estabelecidas.
Nasce-se negro.
Nasce branco.
Nasce-se com vontade de jogar futebol.
Nasce-se com tesão por transar no elevador.
Nasce-se gay.
Pronto. Zé finin!!!
O que querem mais?
- Existem gays felizes, trabalhadores, honestos e que não se importam com leis, regras, carnavais disfarçados de "parada"e guetos sustentados por drogas e promiscuidade - afinal, cada um faz do corpo o que bem entender. Não é isto que é liberdade sexual? Ou novamente vão vim com este papinho que ser gay é ser doente?
Com todo respeito pelos doentes, doente é o poder judicial que prioriza algo tão pessoal.
É lógico que existem gays que sofrem com preconceito, perseguição e desavenças familiares por não aceitação, mas será que não há algo mais importante para  a justiça se preocupar?
Será que doenças que realmente matam não deveriam ter mais atenção?
Será que a fome não poderia ocupar mais a cabeça dos donos da lei?
Será que a violência não é algo urgente?
Vai começar novamente a publicidade à base de inverdades, discussões, palestras, cursos caríssimos e crescimento de popularidade de chefes de Estado que ficam procurando pêlo em ovo.
Deixem os gays em paz!
Nós estamos em paz!
Glauco Viana
Enviado por Glauco Viana em 18/09/2017
Alterado em 20/09/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários